quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Falando um pouco de prazer, essa água que flui!

Continuemos mais uma semana no Elemento Água.



Já abordamos o elemento terra que representa a nossa fundação. É o nosso corpo, a matéria. Mas ele também é a semente, no sentido daquilo que virá a ser. Mentalmente, é o impulso, o desejo de uma transformação, o início.

Imagine que você tem uma meta, a terra te ajudará a ter mais força de vontade, presença, foco para realizar as suas necessidades.

Já a água irá trabalhar essa ação criativa dentro de um fluxo de vida, ela mostrará a direção, a busca do prazer e a melhor maneira de compreender a si e o outro. A terra é a semente e a água é a fecundação, a formação de novas vidas e ideias. A água é o alimento da semente.

Quando a terra e a água estão em equilíbrio dizemos que você (sobre)vive com envolvimento. Um dando subsídio ao outro. É o casal perfeito: o pai e a mãe integrados.

Com o elemento água trabalhamos o "relacionar-se". E essa relação é consigo mesmo e com o outro.

Aqui vai algumas frases para refletirmos como estamos trabalhando o elemento água dentro de nós:

- Cada um é o que é, e não o que você quer que o outro seja.

- Os outros lhe tratam conforme a sua maneira de se expressar, e não como você acha que lhe estão vendo.

- Você é perfeita, ao mesmo tempo que a perfeição não existe: é apenas um ideal. Faça sua parte neste ideal.

- É ingenuidade esperar que a vida lhe dê garantias. Em compensação, dá-lhe um fantástico treinamento. Na vida você é um trainee.

- O futuro não existe porque amanhã você pode mudar de ideia. Viva o hoje.

- Se alguém se intromete na sua vida ou lhe maltrata, veja até onde você está permitindo isso.

Com a água trabalhamos as emoções e os sentimentos. O prazer só existe se você tem liberdade para ter prazer. Senão, é um prazer misturado, incompleto ou mera descarga.

Diz-se que o prazer é como uma água fluindo. Se não flui, há obstrução do prazer.

Porque o prazer é entrega, livre de culpa e insegurança, é sentir por completo... é como uma terra molhada - com presença e sengurança de ser o que se é, de poder desfrutar do que é bom.

Se eu acho que não sou boa o suficiente, se tenho culpa, insegurança na maneira de agir, fica muito difícil em fazer algo ou receber o prazer.

Quando se coloca um impedimento no seu prazer ele se resseca, como se a terra ficasse seca. Da mesma forma quando você deixa de comer aquelas coisas maravilhosas que lhe deixam com água na boca, só porque está pensando na balança. Você na verdade está ressecando o seu prazer de forma inconsciente e projetiva. Como se dissesse para si mesma: "Eu não posso sentir prazer". É algo restrito, que me engorda e me deixa feia". Essa é uma forma inconsciente de agir contra a fluidez, contra a entrega de ser quem se é, sem buscar tanta perfeição.


Enfim, falar de água é falar de muitos sentimentos e de muitas emoções. É falar do rio, das marés, evitando-se colocar pedras no caminho e deixando as coisas seguirem como devem.

O prazer é alegria que flui através do seu corpo, da sua alma e do seu espírito. Você aceita a vida com admiração e entusiasmo. A pergunta é: Você aceita a sua vida assim como ela é? Você encontra prazer no que você é e no que você faz? Ou tem brigado demais com a vida e as pessoas? 


O prazer espera um preenchimento e um envolvimento. Se está preocupada em continuar ou não no emprego ou se a família está cheia de problemas, não tem como o prazer e o amor fluirem. O amor e o prazer estão juntos e só existem quando as pessoas se sentem à vontade para amar, senão eles deixam de ser puros e tudo vira uma preocupação.

Amor e prazer por uma pessoa, uma situação ou um trabalho acontecem quando você SENTE algo especial por aquilo, e não quando você QUER algo especial daquilo. Ex: Farei esse trabalho bem feito para ser promovida ou darei um bom presente de Natal se você for merecedor durante o ano. Em ambos os casos perde-se a liberdade de expressão e surge a pressão. Um prazer condicionado.

É necessário treinar se sentir especial e desfrutar das coisas que são boas para você. Já parou para curtir uma música que você gosta? Ou colocou alguma música para dançar sentindo o rítimo e a melodia? Ou tomou aquele banho com calma e colocou uma roupa gostosa para sentar e assistir a um filme ou conversar com algúem ou desfrutar um chá ou um bom vinho? O prazer começa nas coisas simples da vida. Se nem nas coisas simples não consigo ter prazer fica difícil  compreendê-lo no todo do meu ser.

Faça um teste com você mesma: se vai tomar um sorvete ou um cafezinho, esse instante deve ser especial. O sorvete é especial e você se sente especial tomando aquele sorvete naquele momento especial.

Hoje a vida está muito corrida e a gente está perdendo o espaço do SENTIR o nosso dia a dia com prazer. Tudo é rápido e intenso, sem respiração, sem qualidade, com um prazer totalmente condicionado, porque na realidade não estamos na PRESENÇA e sim no automatismo. 

Diga três coisas ou pessoas que lhe dão prazer. E, de agora em diante, sinta-se especial sempre que estiver com elas, naqueles momentos especiais.

E lembre-se que o prazer é como uma água fluindo, sem pedras no caminho, sem culpa ou rejeição, sem rapidez, com satisfação, envolvimento e alegria.

Emocionar-se quer dizer envolver-se, consequentemente, alcançar um resultado. Então, viva sua vida com mais emoção.

Transforme a tristeza em alegria. Uma dica:

Ria homeopaticamente, 3x por dia. Faz efeito de rescue.


Quem tem bom humor, tem alegria, quem tem alegria flui na vida com mais prazer.

Vamos juntas dançar, sorrir e sentir mais prazer por nós e pela nossa vida!! 



Este é o meu convite para você participar da Dança Terapêutica. Todas as terças feiras às 19:15hrs.

beijos prazerosos
Amanda





terça-feira, 3 de setembro de 2013

Contorno e fluidez - terra e água em equilíbrio


Visto que o elemento terra é a base na nossa vida comum, quando está em harmonia com os outros elementos ela se torna mais fértil.

Escolho o elemento água para o começo desta harmonia. 



O elemento água

A água é o segundo elemento mais pesado, porém mais leve que a terra, dando a capacidade de fluir e se movimentar. Ela nos remete ao movimento da vida. Passamos por 9 meses em meio áquatico e intuitivamente sabemos o que significa estar neste meio. Um lugar que nos traz um contorno, podendo ser mais quentinho, escuro e com barulhinhos apaziguadores, nos transmitindo todo o alimento físico e emocional que precisamos para crescer e nascer. A água carrega em suas moléculas as memórias, as emoções e desta forma esta ligada ao mundo dos sentimentos, ao  subconsciente.

A água corresponde ao 2o chackra, o Chackra Sexual ou do Sacro. Neste chackra encontramos a energia sexual e de criação, onde toda a vida biológica se originou. 




 A dimensão mais elevada da água é o contentamento por estar vivo, a alegria de ser, independente das circunstâncias externas. O olhar das pessoas é de alegria com os outros e com os lugares que frequenta. Elas gostam da vida.
O ser humano tem cerca de 80% de Água no seu organismo, correspodendo ao sangue, às linfas, à saliva, aos líquidos seminais e suco gástrico.


Sem a água não há ligação com a terra. Não há vida. A terra é o corpo humano e a água é a vida que o movimenta e fecunda. Daí a sua importância para ajudar na terra fértil. 

Quando a água está em equilíbrio em nós sentimos o contorno e conseguimos fluir com facilidade através dos eventos e relacionamentos da vida.

No elemento terra buscamos o enraizamento, estar na presença, no aqui e no agora. No elemento água fluimos na alegria do que eu sou e não do que eu faço e eu tenho. O desafio deste elemento é  compreender que a felicidade não está fora de nós, ou seja, no parceiro, no emprego, na casa, nos filhos, no reconhecimento ou no diploma. 

Falando de personalidades, uma pessoa com a água em equilíbrio é sensível, receptiva, empática, intuitiva, criativa, observadora, subjetiva, passiva, discreta, artística, calorosa, profunda, romântica, com necessidade de proteger e ser protegidas, frágeis por fora e fortes por dentro, com grande força interna e emocionalmente inteligentes. Têm os dons do Coração. Características da energia feminina e yin. 

Já uma pessoa dominada pelo excesso de água, pode haver muitos sentimentos e emoções, com tendência para a nostalgia e a depressão. O conforto pode ser execessivo, diminuindo a produtividade e a responsabilidade. Isso pode significar que a pessoa fica satisfeito com situações que deveriam ser mudadas. 

A água em excesso também traz o excesso de emoções e a falta de clareza. A pessoa  tende a ter fortes sentimentos e exagerada sensibilidade, podendo ficar chorosa, vítima das situações. Mais do que atolada no conforto do elemento água, elas ficam atoladas nas marés das emoções. 

Com o excesso de água a pessoa quer tomar conta de tudo e de todos e têm tendência para controlar apegos fortes à família, vivendo também num estado de dependência emocional.

Por outro lado, quando a água é escassa, percebe-se um desconforto, falta de energia e a pessoa se sente pouco a vontade na presença de outras pessoas. São pessoas mais distantes e têm dificuldade em relacionar-se intimamente e em entender os outros, pois tem dificuldades em lidar com os seus próprios sentimentos. Fogem das emoções e retêm toxinas facilmente. São mais diretas, racionais, céticas e pouco profundas.  Procuram desesperadamente algo que preencha este vazio interno.

Mesmo quando estamos ancorados e firmes na terra, quando a água é pouca, essa solidez é do tipo seco, desprovida de prazer e satisfação. Quando a terra e a água são deficientes somos dominados pelo fogo e/ou pelo ar o que resulta em falta de firmeza (oriunda da terra) e agitação excessiva (pela falta de água ou um dos elementos mais pesados).

Por fim, lidar com a água é trabalhar o outro, os relacionamentos, a parte interna do ser. É se relacionar, é buscar o prazer, o gosto pela vida, simples como ela é. 



Na terra eu faço o contorno, as bordas, os traços que delimitam onde posso fixar a minha âncora e fazer a minha fundação. É o meu espaço sagrado, onde posso jogar as minhas sementes com confiança e segurança. Na água eu preencho este espaço, eu completo e aprendo a viver e a fluir com muito prazer, emoção e contentamento.


Convido a todas para meditarem esta figura muito utilizada nos movimentos da Dança do Ventre. Para mim, ela remete o equilíbrio entre terra e a água, por meio de um ponto eu traço dois cículos pararelos que se fundem e dançam pelos contornos que meu corpo sabe dançar.  Ele me reconecta com a vida, com aquilo que eu sou e posso fazer.


Ele pode ser para cima, para baixo, para um lado e para o outro, para frente e para traz, como a água que é levada pela chuva, pelas marés, pelos rios e oceanos, pelas cachoeiras. 


Se quiser experimentar e sentir um pouquinho mais destes movimentos,venha, é hoje a nossa aula de Dança Terapêutica com o tema: CONTORNO E FLUIDEZ!


Beijos dançantes!
Amanda

Ocorreu um erro neste gadget