terça-feira, 3 de setembro de 2013

Contorno e fluidez - terra e água em equilíbrio


Visto que o elemento terra é a base na nossa vida comum, quando está em harmonia com os outros elementos ela se torna mais fértil.

Escolho o elemento água para o começo desta harmonia. 



O elemento água

A água é o segundo elemento mais pesado, porém mais leve que a terra, dando a capacidade de fluir e se movimentar. Ela nos remete ao movimento da vida. Passamos por 9 meses em meio áquatico e intuitivamente sabemos o que significa estar neste meio. Um lugar que nos traz um contorno, podendo ser mais quentinho, escuro e com barulhinhos apaziguadores, nos transmitindo todo o alimento físico e emocional que precisamos para crescer e nascer. A água carrega em suas moléculas as memórias, as emoções e desta forma esta ligada ao mundo dos sentimentos, ao  subconsciente.

A água corresponde ao 2o chackra, o Chackra Sexual ou do Sacro. Neste chackra encontramos a energia sexual e de criação, onde toda a vida biológica se originou. 




 A dimensão mais elevada da água é o contentamento por estar vivo, a alegria de ser, independente das circunstâncias externas. O olhar das pessoas é de alegria com os outros e com os lugares que frequenta. Elas gostam da vida.
O ser humano tem cerca de 80% de Água no seu organismo, correspodendo ao sangue, às linfas, à saliva, aos líquidos seminais e suco gástrico.


Sem a água não há ligação com a terra. Não há vida. A terra é o corpo humano e a água é a vida que o movimenta e fecunda. Daí a sua importância para ajudar na terra fértil. 

Quando a água está em equilíbrio em nós sentimos o contorno e conseguimos fluir com facilidade através dos eventos e relacionamentos da vida.

No elemento terra buscamos o enraizamento, estar na presença, no aqui e no agora. No elemento água fluimos na alegria do que eu sou e não do que eu faço e eu tenho. O desafio deste elemento é  compreender que a felicidade não está fora de nós, ou seja, no parceiro, no emprego, na casa, nos filhos, no reconhecimento ou no diploma. 

Falando de personalidades, uma pessoa com a água em equilíbrio é sensível, receptiva, empática, intuitiva, criativa, observadora, subjetiva, passiva, discreta, artística, calorosa, profunda, romântica, com necessidade de proteger e ser protegidas, frágeis por fora e fortes por dentro, com grande força interna e emocionalmente inteligentes. Têm os dons do Coração. Características da energia feminina e yin. 

Já uma pessoa dominada pelo excesso de água, pode haver muitos sentimentos e emoções, com tendência para a nostalgia e a depressão. O conforto pode ser execessivo, diminuindo a produtividade e a responsabilidade. Isso pode significar que a pessoa fica satisfeito com situações que deveriam ser mudadas. 

A água em excesso também traz o excesso de emoções e a falta de clareza. A pessoa  tende a ter fortes sentimentos e exagerada sensibilidade, podendo ficar chorosa, vítima das situações. Mais do que atolada no conforto do elemento água, elas ficam atoladas nas marés das emoções. 

Com o excesso de água a pessoa quer tomar conta de tudo e de todos e têm tendência para controlar apegos fortes à família, vivendo também num estado de dependência emocional.

Por outro lado, quando a água é escassa, percebe-se um desconforto, falta de energia e a pessoa se sente pouco a vontade na presença de outras pessoas. São pessoas mais distantes e têm dificuldade em relacionar-se intimamente e em entender os outros, pois tem dificuldades em lidar com os seus próprios sentimentos. Fogem das emoções e retêm toxinas facilmente. São mais diretas, racionais, céticas e pouco profundas.  Procuram desesperadamente algo que preencha este vazio interno.

Mesmo quando estamos ancorados e firmes na terra, quando a água é pouca, essa solidez é do tipo seco, desprovida de prazer e satisfação. Quando a terra e a água são deficientes somos dominados pelo fogo e/ou pelo ar o que resulta em falta de firmeza (oriunda da terra) e agitação excessiva (pela falta de água ou um dos elementos mais pesados).

Por fim, lidar com a água é trabalhar o outro, os relacionamentos, a parte interna do ser. É se relacionar, é buscar o prazer, o gosto pela vida, simples como ela é. 



Na terra eu faço o contorno, as bordas, os traços que delimitam onde posso fixar a minha âncora e fazer a minha fundação. É o meu espaço sagrado, onde posso jogar as minhas sementes com confiança e segurança. Na água eu preencho este espaço, eu completo e aprendo a viver e a fluir com muito prazer, emoção e contentamento.


Convido a todas para meditarem esta figura muito utilizada nos movimentos da Dança do Ventre. Para mim, ela remete o equilíbrio entre terra e a água, por meio de um ponto eu traço dois cículos pararelos que se fundem e dançam pelos contornos que meu corpo sabe dançar.  Ele me reconecta com a vida, com aquilo que eu sou e posso fazer.


Ele pode ser para cima, para baixo, para um lado e para o outro, para frente e para traz, como a água que é levada pela chuva, pelas marés, pelos rios e oceanos, pelas cachoeiras. 


Se quiser experimentar e sentir um pouquinho mais destes movimentos,venha, é hoje a nossa aula de Dança Terapêutica com o tema: CONTORNO E FLUIDEZ!


Beijos dançantes!
Amanda

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget